Publicidade
Congelamento

Guedes defende congelamento de salário de servidores públicos até dezembro de 2021

Ministro da Economia sugeriu que presidente Jair Bolsonaro vete trecho do projeto de ajuda aos estados que possibilita reajustes. Ele visitou o STF ao lado do presidente e empresários.

09/05/2020 14h43
Por: Valber Alves
Fonte: G1
24
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta quinta-feira (7) o veto ao trecho do projeto de ajuda financeira aos estados que estabelece uma lista de categorias de servidores que poderão ter reajuste salarial.

A versão inicial do projeto previa que a ajuda financeira da União a estados e municípios tinha, entre as contrapartidas, o congelamento nos salários dos servidores. Durante a tramitação no Congresso, parlamentares incluíram no texto categorias que poderiam ter o reajuste. O projeto foi aprovado nesta quarta (6).

"Eu estou sugerindo ao presidente da República que vete, que permita que essa contribuição do funcionalismo público seja dada, para o bem de todos nós", disse Guedes. "Nós vamos pedir que vete o aumento de salários até dezembro do ano que vem", completou.

"Agora, há sempre manobras, empurra para cá, empurra para lá, manobra normal da democracia. Não estou reclamando em nada do processo democrático. Eu apenas pedi ao presidente que resolva com as ferramentas que ele tem, de vetar esse aumento, caso ele venha", continuou o ministro.

Guedes fez uma visita surpresa com Bolsonaro e empresários ao Supremo Tribunal Federal (STF). Eles conversaram como presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

No encontro, Bolsonaro, Guedes e os empresários expuseram a opinião de que medidas de isolamento social e restrição de mobilidade, para conter o avanço do coronavírus, não podem paralisar a economia. Desde que o vírus chegou ao país, Bolsonaro vem defendendo o relaxamento das medidas restritivas, tomadas por governadores e prefeitos.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários