O senador maranhense Roberto Rocha (PSDB), nas redes sociais, subiu o tom das críticas contra o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Rocha, inicialmente, revela que os gastos da Comunicação do Governo Dino seriam maiores que os da Comunicação do Governo Bolsonaro e diz que o comunista preferiu gastar esse dinheiro com propaganda para se promover nacionalmente, do que cuidar dos maranhenses na pandemia.
“Você sabia que o orçamento da Secom(Secretaria de Comunicação) do governo do Maranhão é o dobro da Secom da presidência da República? Somado ao dinheiro federal do Coronavírus, por que você acha que Flávio Dino aparece todo dia, o dia todo, na imprensa nacional? Ao invés de cuidar dos seus conterrâneos, preferiu gastar o dinheiro federal do Coronavírus com propaganda para se promover nacionalmente, proibindo o uso da Cloraquina por questão meramente ideológica”, declarou o senador maranhense.
Roberto Rocha foi ainda mais duro ao afirmar que mesmo com “as mãos sujas de sangue”, o comunista não demonstrou nenhum remorso.
“Com as mãos sujas de sangue, o governador do Maranhão, Flávio Dino, como um verdadeiro comunista, não demonstra nenhum remorso pelas mortes de centenas de maranhenses”, destacou.
O senador maranhense finalizou suas duras críticas deixando claro que irá denunciar o governador Flávio Dino no Tribunal Penal Internacional, por crime contra a humanidade.
Sobre o assunto, Flávio Dino apenas assegurou que “há semanas” vem afirmando que cabe aos médicos maranhenses, decidir quais os remédios que serão utilizados no combate a Covid-19 no Maranhão.
“Reitero o que digo há semanas. No Maranhão, nem governador, nem outro político, nem associação ou similar, prescrevem remédios. Quem decide isso são os MÉDICOS que atendem os pacientes. Tão simples de entender. Menos quando há mera politicagem ou apologia de ideologias delirantes”, afirmou o comunista.
Agora é aguardar e conferir, já que, infelizmente, o número de mortes segue alto no Maranhão, bem diferente de outros estados brasileiros.



Com