publicidade

publicidade

sábado, 20 de outubro de 2018

Mulher grávida de 8 meses é morta e tem bebê arrancado da barriga

A brasileira Angelina Ferreira Rodrigues, de 40 anos, sempre sonhou em ser mãe de uma menina, mas seus desejos nunca foram cumpridos. Esse desespero a levou a cometer um crime terrível: assassinou uma mulher grávida de oito meses e tirou o bebê da barriga da vítima. O crime chocante aconteceu na cidade de João Pinheiro, em Minas Gerais.

A polícia começou a suspeitar, da acusada quando ela foi ao hospital em São Lucas com o bebê recém-nascido e disse aos médicos que ela havia dado à luz alguns minutos antes. No entanto, a equipe do centro de saúde achou estranho que a mulher andasse normalmente e não quisesse ser examinada por um obstetra, procurando apenas que ela atendesse sua suposta filha.


Mas a mentira durou pouco, horas depois, a polícia encontrou o corpo sem vida de uma mulher identificada como Mara Cristiana da Silva, de 23 anos, amarrado a uma árvore e com cortes, a beira de uma estrada. A mulher tinha evidências que estava grávida de pelo menos oito meses. Porém, a vítima apresentava um corte muito grande no abdômen, então os policiais supuseram que o bebê havia sido levado.

Segundo informações, a polícia ficou sabendo que uma mulher com uma atitude estranha e com um bebê recém-nascido estava em uma unidade médica local. Policiais se deslocaram até o hospital e a mulher foi interrogada e, durante o depoimento ela acabou confessando o crime.

A suspeita disse que levou a vítima até uma árvore e amarrou com arame farpado e tirou o bebê do vento, porém, ela alegou que cometeu o crime sozinha disse que o esposo não teve participação no crime.

Porém, a polícia não acredita na versão dada pela mulher, alegando que o esposo da suspeita é a terceira pessoa na participação no crime.


Após a notícia, a tia da vítima, identificada como Euza Ribeiro, relatou que a suspeita sabia que sua sobrinha estava grávida e tinha se aproximado dela para descobrir que ela estava grávida de uma menina.

Euza relata que a suspeita ofereceu ajuda para a vítima e deu dinheiro para sua sobrinha fazer o seu ultra-som antes de matá-la, acrescentando que a mulher disse-lhe que iria comprar todas as coisas que o bebê precisava.

 O bebê está internado no Hospital São Lucas, em Patos de Minas, onde ela está sendo tratado de um corte na cabeça que se acredita ser o resultado de cortar o ventre de sua mãe. Os suspeitos de ter cometido o crime foram presos e estão a disposição da Justiça.  

A vítima foi enterrada por volta das 10 horas da manhã de quarta-feira (17), em João Pinheiro, no Noroeste de Minas. O caso está sendo investigado pela polícia local.


fonte: Mundo Urgente